Avançar para o conteúdo principal

Uma pessoa que amo sofre com dores.... o que posso fazer?


Embora a maioria das pessoas que consultam seja aquela que sofre com dores persistentes escrevo este texto porque vários familiares têm entrado em contato com a clínica para conhecer melhor nosso trabalho e saber "como posso ajudar"? 






Acompanhantes, familiares e amigos convivem quase diariamente ca "a dor do outro", ouvem suas queixas, confirmam suas limitações, .... e sentem-se - as vezes - incapazes. Incapazes de ajudar aquela pessoa tão gentil que lhe apoiou em tantas momentos difíceis da sua vida.


A pessoa com dor tende a isolar-se, muitas vezes para não incomodar aqueles que ela ama & ...as vezes, a dor é intensa e dificulta sono, alimentação e outras necessidades básicas do ser humano, ... 
Será que você (também) não ficaria de mal humor?


A dor tem este lado,
o lado de deixar vulnerável aquele que sofre e aquele que assiste ao sofrimento.
Mas lembre-se, somos vulneráveis quando temos pouca informação sobre o assunto, então não desanime-se, informe-se! ;-)

Aqui vão algumas dicas simples para lhe ajudar e melhorar sua comunicação com esta pessoa querida.


O principal: Acredite na dor! 


A dor é uma sensação desagradável, desconfortante que limita a participação social, reduz a autoestima e entristece a pessoa que sofre. A dor é invisível aos olhos, ela não aparece em exame sanguíneo, nem em exames de última geração.





O segundo: A dor ou As dores? 

A dor não é uma palavra no singular. Temos vários componentes de dor (sensitivo, emotivo, entre outros) & podemos agir de várias formas para proporcionar alívio da dor, esta é uma das belezas do corpo humano. 



Finalmente: Estimular, Sonhar,... Viver


O cérebro humano guarda muitas lembranças e sonhos, porém o bombardeamento de informações nocicpetivas (dor) limita a ativação destes centros. Juntos, vocês podem ativá-los e favorecer a produção e liberação de neurotransmissores que ajudam no alívio da dor.


Lembre-se: Você pode ajudar! 





*-*-*-*-*-*-*

Se você tiver interesse e quiser saber mais sobre este tema, entre em contato por email: juliana@educaador.com


Em 2012 estaremos oferecendo PALESTRAS PARA AMIGOS E FAMILIARES na luta contra a dor crônica!



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Prevenção da dor crônica

O tratamento precoce de qualquer doença sempre foi uma sábia ação.Com a dor não é diferente. Não sofra à toa! Não tente suportar a dor em situações difíceis e sobretudo, Não deixe que a dor influencie a sua qualidade de vida! Tome uma atitude, adote estratégias (farmacológicas ou não) para o conter o sintoma. 
Eu me lembro bem, eu no pós-operatório da minha cirurgia de apendicite (com 9 semanas de gestação do meu primeiro bebê). Acordei e senti dor. Pedi analgésicos até chegar a um vestígio do sintoma. Eu não ia sair dali com dor né!? Eu estava no melhor local para ser medicada, tinha que garantir meu conforto ali, no hospital, tanto no pré operatório quando no pós! Afinal de contas se estudamos a dor crônica e verificamos que cirurgias com analgesia ineficaz são potenciais fatores de risco para a dor persistente - eu não queria isso de brinde!? E Nem você! Então fale SEMPRE e não sinta dor à toa.
(abro parênteses para defender a dor do parto natural - esta não é uma dor à toa, é uma do…

Dor no Frio - piora? o que fazer?

Desmistificando a Hérnia de Disco - Entrevista

08/10/2016Saúde Mal recorrente na população adulta, cerca de 30% das dores na coluna
podem se tornar crônicas – com maior intensidade e duração. Entre as causas mais
comuns, está a Hérnia de Disco. Advinda de uma fissura no disco intervertebral,
é resultado da má postura, de exercícios ou movimentos bruscos, que pressiona
os nervos da região e gera dor.
“Entre cada corpo vertebral, há um disco intervertebral, cuja função é amortecer e garantir a mobilidade da coluna em diversas direções. A hérnia é uma projeção do disco além do limite do corpo vertebral, uma espécie de massa de modelar seca que, ao mobilizar, perde sua integridade – ao contrário de uma massa nova, úmida, que podemos trabalhar em várias direções sem desmanchar”, explica a dra. Juliana Barcellos, Coordenadora Científica do Comitê de Dor e Movimento da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED).
A fisioterapeuta alerta que uma quantidade significativa da população adulta sofre de hérnia de disco e apo…