Avançar para o conteúdo principal

Dor nas crianças - o que fazer?

Ver uma criança sentindo dor não é fácil para nenhum adulto. Aquele serzinho tão novinho sofrendo, tendo que passar por isso. Definitivamente não é fácil lidar com esta situação, mas é muito importante avaliar a situação e ser forte para evitar comportamentos de dramatização da dor no futuro.

Como mãe já passei por algumas noites mal-dormidas devido a dor e a outras coisinhas de bebês (gripe, febre... ).
Dentes, vacinas, .... são dores inevitáveis, dores quase que naturais. Digo naturais porque praticamente todos nós passamos por isso e não estão associadas a nenhuma condição de doença.

Desta forma, sugiro que os pais "treinem" durante estas fases (dente e vacina) a lidar com a dor de seus filhos e ensinar-lhes comportamento de dor que não sejam dramáticos.

Hoje em dia acredita-se que o comportamento catastrófico e dramático perante a dor seja um dos preditores da dor crônica (ou seja, quem dramatiza a dor tem mais chance de ter dor crônica).
 Não que os pais sejam culpados de qualquer coisa! Mas, como educadores e pais, nós podemos (e devemos) ajudar a criança a enfrentar bem a sua dor. Podemos ensinar a criança a desenvolver estratégias de manejo de sua dor, sobretudo em condições naturais. 

Isto não é ser cruel, garanto a vocês! 
Pais  e amigos da criança sejam carinhosos, mas sem drama. 


Aqui vai um exemplo de excelente manejo da dor da parte dos pais:  As meninas, geralmente, têm suas orelhas perfuradas para a colocação de brincos. Dói? Claro que dói! (Nem seja louco de pensar que não doa!). Mas, qual a atitude de todos a sua volta? Por acaso estão tristes e chorões? Não. Estão todos felizes e orgulhosos, pois a menininha ficou ainda mais linda com aqueles brincos.

Então?
Por que você não olha para o seu filho de forma semelhante quando um denteo novo está nascendo? Ou quando seu corpinho está combatendo fortemente um vírus/bactéria e aceitando a vacina?
Tudo sempre depende do ponto de vista.

Além do nosso comportamento frente a dor da criança, nós adultos também podemos ajudá-los a reduzir a percepção da dor, e é simples: basta distrair a criança! Brincar, conversar, cantar são ótimas estratégias. 

Durante a vacina de seu filho, converse, mostre-lhe algo na sala, algo interessante que atraia a sua atenção, e ... garanto que a picada será bem menos dolorida.

Você deve sim avisar seu filho que ele está indo tomar a vacina - isso é cultiva a confiança!
Mas, não fique repetindo mil vezes e nem alertando muito que: vai dorer! - isso é assustar e cultivar o drama!


Não esqueça, sobretudo, de SEMPRE acreditar na DOR de uma CRIANÇA!
Investigue, mas sempre confiando nela! A criança é vulnerável e uma de suas formas de expressão, pode ser a dor. Não feche os olhos para o problema! ACREDITE NELA E INVESTIGUE!
Profissionais da saúde podem ajudá-los, 
não resista a procurar ajuda de um PSICÓLOGO! 



Abaixo disponibilizo um link muito didático de como avaliar a dor em crianças (infelizmente não achei em português, mas se você precisar, me escreva que traduzo o texto)



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Prevenção da dor crônica

O tratamento precoce de qualquer doença sempre foi uma sábia ação.Com a dor não é diferente. Não sofra à toa! Não tente suportar a dor em situações difíceis e sobretudo, Não deixe que a dor influencie a sua qualidade de vida! Tome uma atitude, adote estratégias (farmacológicas ou não) para o conter o sintoma. 
Eu me lembro bem, eu no pós-operatório da minha cirurgia de apendicite (com 9 semanas de gestação do meu primeiro bebê). Acordei e senti dor. Pedi analgésicos até chegar a um vestígio do sintoma. Eu não ia sair dali com dor né!? Eu estava no melhor local para ser medicada, tinha que garantir meu conforto ali, no hospital, tanto no pré operatório quando no pós! Afinal de contas se estudamos a dor crônica e verificamos que cirurgias com analgesia ineficaz são potenciais fatores de risco para a dor persistente - eu não queria isso de brinde!? E Nem você! Então fale SEMPRE e não sinta dor à toa.
(abro parênteses para defender a dor do parto natural - esta não é uma dor à toa, é uma do…

Dor no Frio - piora? o que fazer?

Desmistificando a Hérnia de Disco - Entrevista

08/10/2016Saúde Mal recorrente na população adulta, cerca de 30% das dores na coluna
podem se tornar crônicas – com maior intensidade e duração. Entre as causas mais
comuns, está a Hérnia de Disco. Advinda de uma fissura no disco intervertebral,
é resultado da má postura, de exercícios ou movimentos bruscos, que pressiona
os nervos da região e gera dor.
“Entre cada corpo vertebral, há um disco intervertebral, cuja função é amortecer e garantir a mobilidade da coluna em diversas direções. A hérnia é uma projeção do disco além do limite do corpo vertebral, uma espécie de massa de modelar seca que, ao mobilizar, perde sua integridade – ao contrário de uma massa nova, úmida, que podemos trabalhar em várias direções sem desmanchar”, explica a dra. Juliana Barcellos, Coordenadora Científica do Comitê de Dor e Movimento da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED).
A fisioterapeuta alerta que uma quantidade significativa da população adulta sofre de hérnia de disco e apo…