Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2010

Corrida e Caminhada contra o Cancer

Tive a oportunidade de acompanhar atividades semelhantes a esta, em 2004 em Rouyn-Noranda e em 2005 em Sherbrooke (ambas no Quebec/Canadá)

A luta pela causa é justa, a atividade admirável e o clima exala esperança, força e VIDA!

Fico feliz que atividades como esta agora estejam sendo realizadas por aqui. Quem sabe não conseguiremos, em breve, montar um evento destes por aqui em Floripa?




Livro para paciente com dor crônica

Um projeto de anos ... e o lançamento será em Setembro, no congresso da Associação internacional de dor crônica.

Uma mulher, fibromiálgia, após percorrer um longo caminho para controlar sua dor, consegue convencer pesquisadores a escreverem um livro voltado ao paciente e a sua família.
Eu tive a oportunidade de participar deste livro, escrevendo três capítulos:
           - O papel do paciente no tratamento da dor crônica,
           - Características psicológicas e sociais
           - Características demográficas (idoso, adulto, criança; mulher, homem)


Versão inglesa:



Versão francesa:

Por que fazer exercício se "tudo"dói antes mesmo de começar?

Esta é uma ótima pergunta e ela provavelmente explique porque, por muitos anos, achava-se que dores crônicas como a fibromialgia eram sinônimos de INATIVIDADE. Hoje, sabemos que o simples fato de não se mover causa rapidamente consequências nefastas nos corpo, causando inclusive dores. Da mesma forma, sabe-se que voltar a se mover, também pode causar dor!
Por exemplo, após uma fratura ou uma cirurgia, dói recomeçar a andar, a se mexer. Pacientes com dor crônica também sentem dores ao iniciar uma atividade física. Na verdade, qualquer pessoa inativa sente dor quando começa musculação ou corrida, por exemplo. É normal, faz parte da adaptação do corpo humano, por isso que sempre prescrevemos atividade física em ritmo progressivo de intensidade moderada.


Mas, se tudo já dói antes mesmo de começar, será que não vai piorar!?
Piorar. Não sei se esta é a palavra exata. Mas, sim, pode doer no dia seguinte. Esta dor da atividade é diferente da dor do dia a dia, alguns pacientes a descrevem como um…

Dor em idosos

De cada 100 idosos acredita-se que a metade tenha dor em alguma parte do corpo, 14 têm dor persistente e difusa pelo corpo e 5 têm fibromialgia.  Estas são as estimativas recentes para a cidade de São Paulo.

A causa da alta prevalência de dor crônica em idosos ainda é desconhecida. Acredita-se no envelhecimento dos mecanismos de controle da dor, na perda da hidratação, no envelhecimento do aparelho locomotor, entre outros. Embora tudo isso ocorra realmente, porque não são todos os idosos que sentem dor persistente? [ainda bem que não são todos!]

Hábitos de vida saudável podem ajudar não apenas a ter uma vida mais longa, mas também ajudam a vivê-la melhor, participando dos eventos que desejamos. Nunca é tarde para começar.

Eu, particularmente, adoro este cartaz da associação americana de fisioterapeutas.


"É quase impossível se preocupar com  a osteoporose & surf uma onda radical ao mesmo tempo."

Clínica - Obra

Nosso novo espaço está em construção
Nele teremos área para atendimento de pequenos grupos e continuaremos com atendimento individualizado e sempre personalizado.
Diversos serviços diferentes serão oferecidos, aguardem.


Agosto 2010 

Crônicas Educa : Dicas para o auto-tratamento

Aprender a lidar com a dor Será um mito ou uma realidade?
Tratar, ensinar, orientar e... medir os efeitos de tudo isso um ano depois:  este foi o objetivo do meu doutorado.
Elaboramos uma escola, apenas 11 encontros em grupo de 8 pessoas, e medimos os efeitos depois de um ano. Surpreendente! As pacientes reduziram sua percepção da dor em 64%.
Para divulgar nosso trabalho, em 2006/ 2007, uma amiga enfermeira (Patricia Bourgault, Ph.D) e eu (Juliana Barcellos de Souza, Ph.D.) publicamos crônicas nos jornais das Associações de pacientes com dores crônicas no Québec/Canada.

Estas crônicas tinham o objetivo de ajudar os pacientes a aplicar técnicas de auto tratamento.
Nos próximos posts, irei traduzir estas crônicas para o português - mantendo o link para o artigo original.

Estas crônicas serão identificadas pela etiqueta:  Educa


Para ter acesso ao artigo em português clique abaixo


"o que aprendi com a fibromialgia"

Uma de nossas pacientes publicou este relato no Jornal da Associação de Fibromiálgicos [L'Info-Fibro Estien, Volume 4, no 2, Été 2006 - Versão original em Francês, Autora Aline Dumont, Tradução Juliana Barcellos de Souza.




"A fibromialgia me ensina

a ir mais lentamente,
a viver o presente
a me conhecer melhor.


Bom dia a todas e todos

Tenho o prazer de dividir com vocês algumas das lições de vida que a Fibromialgia (FM) me ensinou. Após muitos anos de questionamentos sobre as dores tenazes, exames médicos que não apresentavam nada, após o incrível medo de enlouquecer... enfim um diagnóstico: Senhora, você sofre de FM. Eu nada posso fazer pela senhora. E o médico sai do consultório de salto alto. Siderada, pregada à cadeira, a cólera e as lágrimas me dominam. Se um especialista não pode fazer nada por mim, só pode ser porque ele não acredita que eu tenha dores, ele acha que eu tenho uma dor imaginária sem credibilidade alguma para o médico. Então serei uma daquelas pessoas que se lê n…